26 de outubro de 2009

Os riscos de um aumento de 4°C na temperatura global

Esta matéria se refere à Issue 3 - Mitigação e adaptação às mudanças climáticas - do Tema Central "Meio Ambiente" da nova ISO 26000.

Mapa mostra impactos climáticos de um mundo 4°C mais quente.

O governo britânico lançou na última quinta-feira (22/10), no Museu de Ciência de Londres, resultados de um estudo encomendado ao Met Office Hadley Centre, no qual são apresentados os principais impactos que seriam enfrentados ao redor do mundo caso não consigamos frear o aumento da temperatura em 2°C.




O mapa destaca alguns dos impactos que podem ocorrer caso a temperatura média global aumente em 4°C acima dos níveis pré-industriais.

O estudo foi desenvolvido com base em cenários de emissões feitos pelo IPCC - Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas. A partir do nível de emissão, os cientistas do Met Office e instituições parceiras fizeram projeções do aumento de temperatura da Terra e os efeitos que essa elevação causaria.

O trabalho mostra que uma média de 4°C elevação de temperatura não irá se espalhar uniformemente pelo planeta. A terra irá se aquecer mais rapidamente que o mar, e as altas latitudes, particularmente o Ártico, terão elevações maiores de temperatura. A média da temperatura em terra será de 5,5°C acima dos níveis pré-industriais.

O mapa destaca os efeitos severos na oferta de água, produção agrícola, temperaturas extremas e seca, o risco de incêndios florestais e elevação do nível do mar.

No Brasil, a temperatura aumentará entre 5°C no litoral e 8°C no interior do país. Isto aumenta o risco de incêndios florestais, que além de mais freqüentes serão mais difíceis de controlar. As colheitas das plantações dos principais cereais das principais áreas de produção mundial irão decair. Além disso, haveria uma diminuição de até 70% nos reservatórios de água. Metade das geleiras do Himalaia será significantemente reduzida até 2050, o que levará 23% da população da China a ser privada da vital fonte de água do degelo durante a estação seca. Os impactos mostrados no mapa são apenas uma seleção daqueles que podem ocorrer.

Mais informações sobre os estudos que deram origem ao mapa podem ser encontradas aqui.

Fonte: http://ukinbrazil.fco.gov.uk.